terça-feira, 19 de maio de 2009

Raça definida pela cor?

Novamente voltou a discutir-se no Congresso acerca de um tal Estatuto da Igualdade Racial. O link aí mostra para um texto na wikipédia e confesso que não sei se é fiel ao texto que está tramitando ou não, mas pelas notícias cruzadas, parece que é o mesmo texto.

Este tal estatuto preve algumas diretrizes comportamentais sobre como tratar os negros brasileiros. Considera que deve haver cotas não só no ensino público, mas também no governo, programas de TV, peças de teatro e em empresas. E o mais "interessante" é que as empresas que colocassem cotas para negros teriam previlégios.

O questão neste caso é: para que se designa este estatuto?

A começar pelo seu nome e pelos termos usados, até o final dos previlégios a empresas, este estatuto não acaba com preconceito e nem com as injustiças aos afrodescencentes brasileiros.

Para começar o teto considera erroneamente a etnia negra como raça. Ora, qualquer um que estuda biologia básica sabe que a nossa raça é a raça humana. Raça negra é algo criado pelos brancos dominadores para indiretamente dizer que os negros eram de uma raça inferior e justificar sua dominação. Método utilizado amplamente antes e depois, dos mongóis do leste asiático aos nazistas. Portanto é um tanto estranho os negros abraçarem o termo "raça negra" e se orgulharem disto.

E antes do que digam besteiras sem ler, sou mulato, filho de negra e metade de minha família é negra, ok? Ah sim, nasci em um lar pobre e estudei toda minha vida em colégios e faculdade públicos, portanto sei muito bem o que é ser negro e pobre.

Por minha experiência de vida de de amigos próximos eu sei que colocar cotas e querer dar privilégios, separando a população em negro e não-negro, como vi hoje em um reportagem uma líder de movimento anti-racista declarar, não é o meio mais inteligente de acabar com o preconceito. Na verdade considero isso um efeito alimentador para um preconceito. Se o tal estatuto for aprovado estaremos em uma questão de tempo estando em uma situação de racismo e preconceito étnico igual ao que existe nos EUA.

Isso acontece porque querem importar uma ideia de outro país, com outra cultura (que por acaso não deu certo nem no país que foi criado) e colocar aqui diretamente sem nem ao menos pensar em adaptar. Onde colocar cotas para entrar em faculdade vai dar mais chances a alguém na faculdade? Facilita entrar, facilita, mas quando for cursar, sem bases concretas, poderá vir a desistir. Forçar empresas a aceitar negros para receber incentivos, isso já coloca os negros em "vantagem" frente aos não-negros por conta disso. Isso é colocar todos em pé de igualdade?

Sinceramente, acho que os negros são tão capazes quanto os brancos, índios, amarelos, pardos e outras etnias que temos no mundo. Não precisam de cotas para provar isto, apenas melhores condições. Se a maioria da população negra é pobre, porque não incentivar melhorias da educação e qualidade de vida para os mais pobres? Porque não lutar por uma real distribuição de renda no país? Se os negros são injustiçados historicamente, tendo melhores condições, estarão em pé de igualdade com qualquer outro cidadão.

Fora que tratamento diferenciado só fermenta mais ainda o preconceito, pois sempre que alguém será previlegiado, os que não são reclamarão e generalizarão. Somente tratamento igualitário e justo pode acabar com preconceito e injustiças. E não precisa estudar filosofia ou antropologia para saber disso. Um pouco de história e visão social já ajuda a perceber tal coisa. E este estatuto não irá ajudar a situação dos negros no país e por tal motivo eu posso afirmar sem medo que sou contra ele e espero que não seja aprovado. Nossa raça é a humana e somos todos iguais perante isto...

Sorte do dia by orkut: Os tolos e os fanáticos estão sempre seguros de si, mas os sábios são cheios de dúvidas

7 comentários:

Reika disse...

Eu já acho absurdo existirem leis para igualdade racial. Po, precisar de lei para ser respeitado...
Sobre as cotas tenho a mesma opinião que você. Privilegia apenas uma parcela aumentando o preconceito e ainda que é uma maneira facilitada de manter a educação como está. Nada vai melhorar se não houver melhoria da educação e uma reformulação da conscientização de cada um, não vai para frente né -_- Não é só o Estado o grande problema.

Natália disse...

Olá!!
vi seu comentario!!
e gostei de você ter usado fotos das personagens morenas que existem em bleach!! xD
você disse que não gostou muito da Saga do Bounts não foi? bem... isso é um "filler" e não tem no mangá (foi feito apenas para o animê prq o anime estava perto do mangá).. só estava esclarecendo okay?
sobre o que você postou.. eu não acho certo dar cota aos negros (sou branca e nasci numa familia, digamos que, "misturada")e eu não acho certo isso, prq esse tipo de cota é apenas um tipo de preconceito(digamos que eles acham que o negro não é capaz, apenas os brancos), eles deveriam colocar esse tipo de cota para pessoas pobres e com baixa renda familiar!! xD
é isso o que eu acho...
a educação aqui no Brasil precisa melhorar muito, mais muito mesmo!!
adoro seu blog

Natália disse...

eu dnovo!!
meus post não foi bem um review!!
foi mais um comentário!! hihi
passe sempre por lah, é legal ver a opinião de outras pessoas!! xD

Natália disse...

eu dnovo, outra vez e novamente!! xD
agora sim entendi o que você quis dizer!!
mais quando eles vão para o hueco mundo, aparece bastante nomes em espanhol (até a trilha sonora) xD
A Youruichi é bom foda \o/
bjos

Haysh disse...

Só quero comentar sobre a interpretação do princípio da igualdade: além de esta não ser absoluta, ela pressupõe a discriminação positiva, que é um tratamento diferenciado para se alcançar a igualdade fática. Não se assustem com o que vou dizer, mas os direitos fundamentais não são absolutos e alguns podem até mesmo ser abdicados, no caso, em nome de outro (s) mais importante (s) (sim, existe uma escala valorativa).
=P Fato é que a prática em questão gera preconceito também u.u aí é fódis, mas qual é a pior situação? Prefiro ouvir os referidos membros da sociedade u.U Estado Social vid4lok4.

Hidekee disse...

> Todos:

Incrível como comentaram coisas similares.

Basicamente o problema não está em tentar inserir quem tem menos condições ou foi prejudicado historicamente, entretanto, qdo colocam previlégios para um candidato negro ser contratado no lugar de um não negro. Isso gerará preconceito e quem sabe história sabe que foi isso que incitou o racismo contra judeus na Alemanha antes do nazismo tomar o poder. Ou seja, deve-se saber implementar essas regras pois elas simplesmente terão o efeito contrário ao que pretende e com um antropólogo de uma universidade disse, pode ter efeitos IRREVESÍVEIS! Tudo seria simples se colocassem as coisas na questão em nível econômico e não racial...

Negreiros disse...

Acho um grande absurdo vocês não terem conhecimento historico. Os negros foram expoliados durante 350 anos por leis que os impediu de estudar, de cuidar das familias, de trabalhar, etc. Foram forçados a trabalhar o tempo todo e embaixo de porrada. Por que não ter leis que os favoreçam agora? Muita gente ganhou em cima da população negra e parece que os comentaristas desse blog não conseguem ver a desigualdade que existe hoje. Não senhores, não é falta de valor, é direito. Nenhum negro quer provar nada, pois a população negra já fez isto construindo este país. Construindo igrejas, mesm o sem terem almas como achava a igreja católica. Construindo os palacios do governo e moradias de gente racista, mesmo sendo considerados inferiores. Acho um absurdo vocês se fazerem de cegos. Que vai pagar a conta pela lei do sexagenário, pela lei do ventre livre, pela lei da vadiágem, pela abolição nojenta que jogou a maioria dos negros nas ruas sem eira nem beira? Estas leis foram nacionais. Além das leis da chibatadas, das surras, etc.
Meus senhores, os negros já fizeram muito por esta nação. Mas, vocês não aceitam leis que são direito para essa população que historicamente foi ultrajada. Será porquê? Acho que muitos tem medo da competição. Gente é só 20% para negros e indios. Por favor, pensam numa reparação historica. isto não é querer provar nada, é direito e pagamento de divida do Estado brasileiro.